login
Primeiro acesso? Clique aqui

Este site foi desenvolvido com tecnologias avançadas para
lhe proporcionar uma experiência incrível.
Infelizmente, este navegador não é suportado

Sugerimos que você use o
Google Chrome para melhores resultados.

Pé Diabético é Tema Multidisciplinar

Pé Diabético

Data: 16 de setembro, sábado.

Horário: 8h30 às 12h30

Local: Teatro Oromar Moreira (Avenida João Pinheiro, 161, Centro, Belo Horizonte)

Informações e inscrições: (31) 3247 1619 ou seaci@ammgmail.org.br

Público alvo: estudantes de medicina, médicos e demais profissionais da saúde.

 

A Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) promove Reunião Multidisciplinar, dia 16 de setembro, com o tema ‘Pé Diabético. O encontro acontece de 8h30 às 12h30 na sede da entidade e a coordenação é da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular – Regional Minas Gerais (SBACV MG). Enriquecem os debates a participação de especialistas da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Minas Gerais (Sbem – MG), Sociedade Brasileira de Clínica Médica – Regional Minas Gerais (SBCM MG), Sociedade Mineira de Infectologia (SMI) e Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Minas Gerais (Sbot MG).

De acordo com o presidente da SBACV MG, Daniel Mendes Pinto, pé diabético é o nome dado a uma complicação decorrente da diabetes mellitus, quando uma área machucada ou infeccionada nos pés desenvolve uma ferida. “O nível elevado de glicose no sangue, ao longo dos anos provoca várias alterações em órgãos e tecidos do organismo. O acometimento dos nervos pode causar sensação de dor, ‘formigamento’, calor, ‘queimação’ e, em último grau, insensibilidade dos pés. Estes sintomas fazem parte da neuropatia diabética que coloca o membro em risco de infecções e amputações.”

Pinto esclarece que seu aparecimento pode ocorrer quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados, sendo necessário estar alerta aos sintomas. “No sistema vascular, a diabetes provoca uma inflamação e oclusão das artérias, levando a um prejuízo nas áreas que são por elas irrigadas. Os principais sinais são dores nas pernas em repouso e aos exercícios, feridas que não cicatrizam, pés inchados, azulados e ressecados, queda dos pelos, distrofia das unhas e deformidades dos dedos.”

 

Fique atento às orientações

– É preciso examinar diariamente os pés e ter cuidados com bolhas, rachaduras e ressecamentos;

​- Nunca ande descalço, mesmo em casa, isto evita traumas e aparecimento de feridas;

​- Não tente remover calos ou unhas com profissionais não capacitados;

​- Use diariamente uma loção ou creme hidratante nos pés;

​- Seque bem entre os dedos após banho, para evitar surgimento de micose;

 – Todo paciente com diagnóstico de diabetes deve fazer uma consulta com cirurgião vascular para que os pés sejam examinados, assim como a medida do índice Tornozelo-Braço (ITB).

Também participa do evento a Sociedade dos Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais (Sammg). A Reunião Multidisciplinar é promovida pela diretoria científica da AMMG. Inscrições: seaci@ammgmail.org.br ou (31) 3247 1619.